A surpreendente história da Session Ipa

destaque_session_ipa

Vários estilos de IPA estão disponíveis hoje em dia. As prateleiras estão lotadas de Doubles, Imperials, Blacks, Whites e até as Session IPAs. Novas variações são vistas como inovações excitantes, porém, tudo já foi feito antes, bem como quase tudo ligado a fabricação de cervejas.

Longe de ser nova e excitante, as Session Ipas já estão disponíveis há muito tempo, a tanto tempo quanto a própria Ipa. Existe uma teoria que a Ipa original era uma cerveja Session, pois, pelos padrões da época, era cervejas de amargor comum.

Os antigos vitorianos tinham um conceito totalmente diferente sobre a constituição de uma cerveja forte. No geral, as cervejas do século 19 eram mais fortes que as de hoje. Por exemplo, em 1830, a London X Ale (o tipo mais suave), tinha em torno de 6% de ABV. Uma Stock Ale forte tinha acima de 10% de ABV. Uma Ipa de 6 ou 7% de ABV não é particularmente forte nesse contexto.

Mas, muitas das primeiras Ipas nem sequer eram assim tão fortes. No The Scottish Ale Brewer and Practical Maltster, um guia prático da arte de fabricação de cervejas pelo sistema escocês, de W.H. Roberts, existe uma tabela com 42 Ipas fabricadas (presumidamente na Escócia) nos anos 1840. O exemplar de exportação mais fraco tinha apenas 5,2% de ABV. Isso era o mais suave que as cervejas podiam ser nessa época.

Se as Ipas do início dos anos 1800 tinha a força de uma Session pelos padrões da época, os exemplares do final do século seriam assim, também, determinados nos dias de hoje.

A Whitebread Ipa, fabricada em 1900 era assim. Tinha um ABV de 4,6%, sendo sua cerveja mais fraca. Qualquer exemplar abaixo de 5% de ABV era muito fraca para os padrões da Londres pré 1° Guerra Mundial. Podiam ser fracas no teor alcoólico, mas não no lúpulo, chegando aos respeitáveis 68 IBUs.

Entretanto, a explicação mais comum para o termo Session surgiu na Inglaterra pré 1° Guerra Mundial, onde as pessoas bebiam durante o trabalho, mesmo durante a fabricação de armas. Os trabalhadores tinham dois períodos para beber, ou sessions, de 4 horas por cada dia de trabalho, o que pedia uma cerveja mais leve do que as Stouts ou Porters, permitindo que eles bebessem mais. O fato dessa lei permanecer em uso até 1988 é surpreendente e explica o porquê muitas cervejas Session de hoje serem de estilos britânicos, como a Ipa.

Destaques

cervejaria-virtual-saiba-tudo-sobre-as-ipa
cervejaria-virtual-saiba-tudo-sobre-as-lagers

Último artigo